O JEITO VERDE DE CULTIVAR TOMATES

O JEITO VERDE DE CULTIVAR TOMATES

Voltar a Nosso impacto

O mundo parece ter um apetite insaciável por tomates. Atualmente, mais de 180 milhões de toneladas são produzidas mundialmente, todo ano, para satisfazer a demanda por tomates frescos, tomates enlatados e molho de tomate. E essas frutas vermelhas reluzentes fazem bem para nós: os tomates têm baixas calorias, são ricos em vitamina C, potássio, folato e vitamina K. Além disso, ainda contêm um antioxidante poderoso chamado licopeno, que tem sido relacionado a vários benefícios à saúde, incluindo um risco reduzido de doença cardíaca. A produção de tomate cresceu mais de 400% nos últimos 50 anos. Para atender a demanda, as plantas são normalmente cultivadas ao longo do ano em estufas que são aquecidas nos meses do inverno. No entanto, o aquecimento exige energia, apresentando um dilema para os produtores em um mundo onde os consumidores valorizam cada vez mais a sustentabilidade.

Na Itália, o FRI-EL Group, um produtor líder de energia limpa, encontrou uma solução engenhosa para esse problema quando estava buscando uma forma de usar o calor perdido, que é um subproduto da criação de eletricidade a partir de biogás. Em Ostellato, cerca de 50 km ao nordeste de Bolonha, a empresa construiu estufas de alta tecnologia próximas à sua usina hidrelétrica onde elas são aquecidas por água quente produzida pela usina. O projeto H2Orto, como é conhecido, permite que a empresa produza uma variedade de tomates 365 dias por ano, que são vendidos por toda Itália e em outros países da Europa.

Sustentabilidade é um elemento-chave do projeto. Os tomates são cultivados hidroponicamente em estufas de alta tecnologia gigantes. Trata-se de um método que usa consideravelmente menos terra e água do que os cultivos tradicionais. As estufas são equipadas com um sistema de irrigação sofisticado, com a recuperação da água excedente, que é filtrada e alimentada de volta, enquanto a água da chuva é também coletada e usada. A usina de biogás usa subprodutos agrícolas que eventualmente são transformados em fertilizantes.


“ECONOMIZAMOS 70% DE ÁREA DA SUPERFÍCIE E 70% DE ÁGUA E USAMOS UM MODELO DE PRODUÇÃO QUE EXPLORA NOSSA ECONOMIA CIRCULAR.”

ALESSIO ORLANDI
DIRETOR COMERCIAL, FRI-EL GROUP


Como diz o prévio diretor comercial Alessio Orlandi, “Economizamos 70% da área de superfície e 70% de água e usamos um modelo de produção que explora nossa economia circular: recuperamos energia preciosa e ao mesmo tempo damos vida a um ciclo virtuoso, que é bom para o ambiente e para os nossos tomates.”

O projeto começou em 2015 como uma área de apenas 1,5 hectare, mas desde então expandiu consideravelmente, com mais estufas. Este ano, a área total atingirá mais de 31 hectares, o equivalente a 40 campos de futebol. Com esse crescimento tivemos a necessidade de construir uma nova instalação de armazenamento e processamento, nas quais a Güntner teve um papel essencial, graças à sua tecnologia em eficiência de energia. A instalação é dividida em três áreas: uma onde os tomates passam por um congelamento rápido permitindo, assim, manter todos os valores nutricionais da fruta. As duas outras áreas são de processamento e de despacho, onde os tomates precisam ser mantidos resfriados.

De uma forma geral, nada se perde. “A água fria produzida pelos resfriadores também é usada para gerar ar resfriado em outras áreas da usina de produção, como os vestiários e escritórios,” diz Orlandi. “Isso significa que o resfriamento nessas áreas também pode se beneficiar da economia de energia e da confiabilidade do equipamento da Güntner que instalamos.”

Os sistemas de resfriamento e congelamento rápido usam quatorze das unidades de última geração de resfriamento de ar da Güntner, os resfriadores de ar Güntner Cubic VARIO, equipados com um motor de ventilador EC com eficiência de energia e sistema pós-aquecimento, essencial para controlar o nível correto de umidade para os tomates, com uma capacidade de resfriamento total de um megawatt.

“É excelente eles terem escolhido a Güntner, não somente por nossos produtos, mas também por conta do suporte técnico oferecido na fase de desenvolvimento do projeto pela nossa equipe,” diz Stefano Vidal, gerente de vendas da Güntner na Itália. “O que o FRI-EL Group está fazendo está alinhado à nossa visão de criação de um futuro melhor. Nossas soluções são as mais confiáveis e com eficiência de energia do mercado, que representava o fator-chave para escolha dos produtos da Güntner.”

Os tomates do projeto H2Orto receberam a certificação de sustentabilidade da Friends of the Earth, que é uma certificação internacional para agropecuária e agricultura sustentável, agregando valor entre o público em geral, que valoriza cada vez mais produtos sustentáveis. “Estamos muito orgulhosos por fazer parte desse projeto e ajudar a resolver os desafios de amanhã,” diz Vidal.


“ESTAMOS MUITO ORGULHOSOS POR FAZER PARTE DESSE PROJETO E AJUDAR A RESOLVER OS DESAFIOS DE AMANHÃ.”

STEFANO VIDAL
GERENTE DE VENDAS, GÜNTNER