VERDE E OURO EM PEQUIM

VERDE E OURO EM PEQUIM

Voltar a Nosso impacto

Os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de Inverno que acontecerão na China em fevereiro de 2022 prometem ser diferentes de todas as Olimpíadas anteriores. O presidente Xi Jinping anunciou que o país pretende realizar um evento ambientalmente sustentável, declarando que os Jogos serão “verdes, inclusivos, abertos e limpos”, alinhados aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU. Pela primeira vez na história das Olimpíadas, todas as instalações (localizadas na capital chinesa, Pequim, e na província vizinha de Hebei) serão totalmente alimentadas por energia verde, aproveitando os ricos recursos eólicos e solares da cidade coanfitriã Zhangjakou. Além disso, ao invés de construir novas instalações em Pequim, os organizadores estão adaptando edifícios existentes, como o Centro Aquático Nacional, onde a piscina será transformada em arena de curling.

A única exceção é a nova Pista Nacional de Patinação de Velocidade da capital. Conhecida como “Fita de Gelo”, essa imponente construção receberá 12 mil espectadores durante os Jogos, quando serão entregues 14 medalhas de ouro. A fachada do edifício, projetado pelo escritório de arquitetura Populous, é um impressionante casulo oval formado por 22 fitas de vidro, que simbolizam os rastros deixados no gelo pelos patinadores. À noite, as fitas se iluminam com diversas cores e, durante o dia, seguindo as diretrizes verdes dos Jogos, geram eletricidade, graças às qualidades fotovoltaicas do vidro.

No interior, o gelo cobre uma área de 12 mil metros quadrados, o que faz da pista a maior superfície de gelo em um ambiente interno em toda a Ásia. E a inovação tecnológica não para por aí: Pequim introduziu o resfriamento direto transcrítico com dióxido de carbono para o processo de fabricação de gelo. Juan Antonio Samaranch, presidente da Comissão de Coordenação dos Jogos do Comitê Olímpico Internacional, descreveu a medida como uma “decisão histórica”.

“As instalações de patinação de velocidade das últimas Olimpíadas de Inverno usavam refrigerantes freon. Os novos refrigerantes, feitos de dióxido de carbono natural, não prejudicam o meio ambiente”, diz Gui Lin, oficial do Departamento de Planejamento e Construção do comitê de organização dos Jogos. O estádio, construído pela Pan-China Sports, conta com um sistema de refrigeração modular capaz de manter toda a superfície do gelo a uma temperatura uniforme de 0,5 °C. O sistema foi projetado pela Hua Shang International Engineering, utilizando a experiência da sueca EKA, especialista em pistas de gelo, e a tecnologia de ponta da Haier Carrier e da Güntner, que forneceu seis grandes resfriadores de gás adiabáticos V-Shape VARIO.


“ESTE FOI O MAIOR PROJETO COM UM SISTEMA DE COREALIZADO NA CHINA.”

Jason Dai
GERENTE DE VENDAS, güntner


“Este foi o maior projeto com um sistema de CO2 realizado na China, o que faz dele um verdadeiro marco”, diz Jason Dai, gerente de vendas da Güntner. “Foi muito complexo, e tivemos que garantir que os resfriadores funcionassem perfeitamente em todo o sistema de refrigeração.”
A tecnologia é extremamente eficiente em termos de energia em comparação com os sistemas anteriores. “Esse sistema de produção de gelo consome 20% menos energia do que aquele baseado em freon”, afirma Song Jiafeng, vice-gerente geral executivo da Fita de Gelo. Além disso, o calor residual gerado pela refrigeração será usado para aquecer a água usada pelos atletas e para a manutenção da superfície do gelo.

QUANDO OS JOGOS ACABAREM, A PISTA NACIONAL DE PATINAÇÃO DE VELOCIDADE SERÁ USADA NÃO APENAS PARA SEDIAR ESPORTES NO GELO, MAS TAMBÉM COMO PISTA DE PATINAÇÃO PÚBLICA: ELA SERÁ UM CENTRO PARA A COMUNIDADE E APOIARÁ AINDA MAIS OS ESPORTES DE INVERNO NA CHINA.